Breaking News

Morte por Peste Negra na África



Tradução: Olívia Weiss


Nota da Tradutora: Se você , ao ler este artigo, sentir que existem contradições no que a Organização Mundial da Saúde diz ou que está tudo mal explicado, você não leu errado e nem é erro de tradução.

A praga da Morte Negra matou pelo menos 127 pessoas em Madagascar, em meio aos temores de que a doença mortal possa se espalhar por todo o mundo. Aqui estão as últimas notícias.



Não deixe de ler as matérias a seguir para mais informações


9am: OMS relata 127 mortos, mais de 1.801 casos suspeitos

O último relatório da OMS disse: "De 1 de agosto a 30 de outubro de 2017, foram relatados 1 801 casos suspeitos de praga, incluindo 127 mortes (taxa de mortalidade 7%).

"Destes, 1 111 (62%) foram classificados clinicamente como praga pulmonar, 261 (15%) eram pragas bubônicas, uma era septicaêmica e 428 não especificadas (a classificação adicional dos casos está em processo).

"Desde o início do surto, 71 trabalhadores de saúde (sem mortes) foram afetados".

10.30pm: Especialista em viagens diz que existe "baixo risco" de infecção por peste - aviso de férias

O especialista em viagens independentes, Frank Brehany, disse à Express.co.uk: "Embora os eventos nas últimas semanas tenham causado preocupação, a Organização Mundial da Saúde informou que" há um risco muito baixo "para os viajantes internacionais para  Seychelles.

"A OMS relata um baixo risco para os viajantes a Madagáscar. Para ambos os destinos eles pedem que informações sejam fornecidas aos turistas para que possam gerenciar qualquer risco.

"No entanto, existem restrições de viagem impostas à Seychelles, sendo uma proibição de viajantes estrangeiros provenientes de Madagascar".

7,29pm GMT ( Greenwich Meridian Time): declaração do governo britânico sobre a praga

O governo do Reino Unido exortou os britânicos em Madagascar a estar atentos aos perigos da praga da Morte Negra, sem chegar muito longe nestes locais e desencorajando viagens à ilha.

Uma declaração dizia: "Atualmente existe um surto de peste pneumônica e bubônica em Madagascar; os surtos de praga tendem a ser sazonais e ocorrem principalmente durante a estação chuvosa, com cerca de 500 casos relatados anualmente.

"Embora os surtos não sejam incomuns em áreas rurais, o último surto tem visto um aumento nos casos relatados em áreas urbanas, incluindo Antananarivo".

6.57pm GMT: animais bonitos ajudam a propagar a peste em Madagascar

O adorável Highland Strayed Tenrec foi acusado de espalhar a praga da Morte Negra em Madagascar.

Matthew Baylis, professor de epidemiologia veterinária da Universidade de Liverpool, disse que a praga circula entre os animais selvagens, como as terras espalhadas por tenrec, nas florestas.

Pulgas espalham a praga para ratos de aldeias povoadas.

Ele acrescentou: "É endêmico em Madagascar e tem sido há mais de 100 anos. De vez em quando, ela se espalha para a população humana sob a forma de peste bubônica.

"Mas a praga pneumônica pode se transformar em praga pneumônica, em particular se as pessoas não são tratadas rapidamente. Essas pessoas com praga pneumônica podem espalhá-la mais rapidamente para outras pessoas ".

6h15pm GMT: sul-africanos disseram não temer a praga da Morte Negra

Os residentes da África do Sul foram informados de não entrar em pânico, apesar de estarem na lista da OMS de nações que provavelmente serão infectadas pela epidemia de peste de Madagascar.

A Dra. Lucille Bloomberg, do Instituto Nacional de Doenças Transmissíveis, assegura que o risco de um surto é pequeno, desde que os locais permaneçam "vigilantes".

Ela disse à EyeWitness News: "Eu acho que o nosso risco de ter a praga de pessoas que viajam de Madagascar para a África do Sul seria muito baixo. Precisamos estar vigilantes, temos sistemas instalados.

"Nós podemos testar a praga aqui, nós tivemos a praga no continente por um longo tempo. Os antibióticos estão prontamente disponíveis ".





5.24pm GMT: Escolas fechadas em Madagascar, em meio aos medos da praga da Morte Negra

As lições foram suspensas por grandes extensões da ilha, deixando cerca de 415 mil crianças sem educação, de acordo com a UNICEF.

A instituição de caridade agora está treinando mais de 15.000 professores e funcionários da escola sobre como detectar a doença, garantindo que os casos futuros sejam tratados o mais rápido possível.

Os oficiais esperam começar a reabrir escolas em 6 de novembro.

5.01pm GMT: relatórios da OMS declinam nos casos

A Organização Mundial da Saúde (OMS) advertiu que os casos de peste da Morte Negra poderiam aparecer novamente, apesar de um declínio na quantidade de incidentes relatados.

A OMS tweetou mais cedo, hoje: "O número diário de casos de peste relatados em Madagascar vem decrescendo a partir de 12 de outubro. Caso confirmado mais recente: 20 de outubro.

"Mesmo que a recente tendência declinante seja confirmada, não podemos descartar a possibilidade de novas picos de pragas em Madagascar até agora e em abril de 2018."

16h30 GMT: a praga da Morte Negra "não pode ser explicada"

Especialistas em saúde que estudam o recente surto da praga disseram que a epidemia é "algo diferente" para estirpes anteriores e "não pode ser facilmente explicada".

"O risco de propagação da doença é elevado a nível nacional ... porque está presente em várias cidades e este é apenas o início do surto", disse um funcionário da OMS no mês passado.

4.02pm GMT: o ritual de Madagascar de cavar os mortos coincide com o surto de praga

A antiga cerimônia malgaxeira de 'famadihana', ou giro dos ossos, foi ligada à propagação da peste.

Famadihana envolve escavar os cadáveres de entes queridos faleis antes de reencherar seus corpos e dançar com eles nas ruas.

As cerimônias ocorrem em Madagascar entre julho e outubro, e as autoridades de saúde dizem que não é coincidência que a prática coincida com o surto da praga.

Willy Randriamarotia, chefe de gabinete do Ministério da Saúde de Madagascar, disse: "Se uma pessoa morre de praga pneumônica e depois é enterrada em um túmulo que é posteriormente aberto para o ritual, a bactéria ainda pode ser transmitida e contaminar quem manipula o corpo".

3.28pm GMT: a morte negra pode se espalhar, adverte cientistas

A Organização Mundial da Saúde (OMS) emitiu advertências de saúde para as nove nações que são mais como risco de sofrer um surto de morte negra.

Funcionários da OMS disseram que a chance de a epidemia se espalhar é "alta", e agora estão trabalhando incansavelmente para prever a próxima epidemia.

Os países do possível caminho da doença incluem a África do Sul, o Quênia e o hotspot de férias britânicas das Seychelles.

15:00 GMT: Unicef diz que o número de mortos de Black Plague atinge 124 em Madagascar

Pelo menos 113 pessoas morreram em Madagascar depois de contrair a Morte Negra, com mais de 1.300 infectados, de acordo com a UNICEF.

Mas um porta-voz da OMS disse ao Independent: "O Ministério da Saúde [em Madagascar] reportou 1.231 casos e 124 mortes - principalmente de peste pneumônica - entre 1 de agosto e 25 de outubro.

"A proporção de praga pneumônica - a forma que pode ser transmitida de pessoa para pessoa - é muito maior do que no passado".

Os cientistas temem que a taxa de mortalidade aumentará à medida que as operações de contenção continuem.

Embora a peste não seja uma doença incomum em Madagascar, a ilha africana não sofreu um surto tão grave por décadas.

O Dr. Arthur Rakotonjanabelo, da OMS, disse: "A praga é uma doença da pobreza, porque prospera em locais com condições sanitárias precárias e serviços de saúde".

No comments